BANCO DE CAPACITORES | MF CAPACITORES - LIMEIRA/SP

Causas do baixo fator de Potência na industria

Antonio Geraldo Stefano

Engenheiro Eletricista | Organização Einstein de Ensino

- Motores de indução operando em vazio: tais motores consomem praticamente a mesma energia reativa, quer operando em vazio, quer operando à plena carga. A energia ativa, entretanto, é diretamente proporcional à carga mecânica aplicada ao eixo do motor. Nessas condições, quanto menor a carga, menor a energia ativa consumida e menor o fator de potência.

 

- Transformadores operando em vazio ou com pequenas cargas: analogamente aos motores, os transformadores, quando superdimensionados para a carga que devem alimentar, consomem uma quantidade de energia reativa relativamente grande, se comparada à energia ativa, contribuindo para um fator de potência baixo.

 

- Lâmpadas de descarga: as lâmpadas de descarga (vapor de mercúrio, vapor de sódio, fluorescentes, etc.) necessitam do auxílio de um reator para funcionar. Os reatores magnéticos, como os motores e os transformadores, possuem bobinas que consomem energia reativa, contribuindo para a redução do fator de potência. O uso de reatores compensados (com alto fator de potência) pode contornar o problema. Os reatores eletrônicos, de boa procedência e especificação, apresentam um bom comportamento relativo ao fator de potência, alguns até próximos de 100%.

 

- Grande quantidade de motores de pequena potência: provoca muitas vezes, um baixo fator de potência, pois o correto dimensionamento de tais motores em função das máquinas a eles acopladas (dependente do tipo de indústria) pode apresentar dificuldades.

 

- Tensão acima da nominal (sobretensão): a potência reativa é proporcional quadrado da tensão aplicada. No caso dos motores de indução, a potência ativa só depende, praticamente, da carga mecânica aplicada ao eixo do motor. Assim, quanto maior a tensão aplicada aos motores, maior a energia reativa consumida e menor o fator de potência.

Na indústria podem‐se citar as seguintes cargas típicas que contribuem para o baixo fator de potência (FP):

- injetoras,

- fornos de indução ou a arco,

- sistemas de solda,

- prensas,

- guindastes,

- pontes rolantes,

- bombas,

- compressores,

- ventiladores,

- tornos,

- retíficas,

- sistemas de galvanoplastia e eletrólise, entre outros.

 

Fonte: www.feis.unesp.br/Home/departamentos/engenhariaeletrica/capitulo_4_2013-1s_2.pdf